Com participação do prefeito Tuta família Basílio realiza mais um tradicional jogo de confraternização

0
502

Como acontece há mais de 20 anos pelo menos, o futebol de confraternização da família Basílio contou com personagens pra lá de exóticos. Mas, calma aí!  Vamos falar como dizia o falecido ator, Ronald Rios, aquele mesmo que interpretou a famosa velhinha surda personagem do programa humorístico, a Praça é nossa: “tudo nos mínimos detalhes”.

Já no aquecimento antes do inicio do jogo, um personagem ou melhor, dois personagens já tomavam a cena, o primeiro é o prefeito do município de Cabeceiras de Goiás, Tuta, convidado especial para fazer parte do jogo, o detalhe é, com todo aquele porte físico de levantador de copos, onde seria escalado? logo pensei: “ isso vai dar merda”. O segundo, é o famoso camaleão, novo genro de Barão, conhecido como “chimbinha”. Este último, aliás, que recebeu o apelido por pintar as suas madeixas de loiro, e por isso, está sendo referendado com o nome do ex-guitarrista da banda Calypso.

O certo é que, a família Basílio todos os anos renova seu elenco de jogadores.  Este ano inclusive com novos reforços na torcida mais apaixonada de Cabeceiras, as “Basiletes”. Chegou pra reforçar a torcida os filhos de Nádyr, conhecido como Barão: Bárbara, Pierre, Nádya, faltou como já dizia a música do Adoniran Barbosa “o Tiro ao ÁLVARO”, oh menino que gosta de furar, quase não vai nos eventos futebolísticos da família!

Vamos ao jogo, com a escalação de Celso Basílio para enfrentar os adversários da família Santana, o time começou ofensivo, com o prefeito Tuta no ataque, mas após 5 minutos de jogo, o atacante de honra teve que sair, pois, ao tentar dar o que chamávamos na infância de “estilingada” atrás de uma bola o atacante deu sinais de que se fizesse novamente aquela travessura, poderia na verdade ter um ataque cardíaco.

Ralf Basílio, Paulo Basílio, Barão Basílio, Ruan Basílio e Reinaldo Basílio sempre consistentes deram sobre vida ao time e logo aos 10 minutos de jogo numa bela jogada, deixaram Raone na cara do gol adversário, para colocar a bola no fundo das redes. Foi o 1 a 0, que levou a torcida, “as basiletes”,  ao delírio. Mais a felicidade foi por pouco tempo, após erro de Ralf Basílio o time da família Santana conseguiu o empate.

Nesse momento entra em campo, Ricardo Basílio, e como dizem por ai “quem tem estrela, ela jamais será apagada”. Mesmo que esta estrela esteja sob um corpo de 100 quilos.  Ricardo Basílio encontrou, Reinaldo Basílio livre e o deixou na pequena área do adversário. Aí meu amigo é mortal!  Ele não perdoou! Reinaldo colocou no fundo das redes e se consagra como o maior artilheiro da família Basílio. A torcida já até lhe deu um novo apelido: REINALGOL”, jogou no cara é gol.

Mas, em outra displicência na zaga da família Basílio, a Família Santana empatou o jogo, daí foi aquele Deus nos acuda. Vieram as substituições e colocaram inclusive o “chimbinha” pra jogar, e ocultar as jogadas adversárias, bem que ele tentou, mas bastou pouco tempo para que de Calypso o homem fosse comparado a um colapso.

Após a segunda tentativa, de uma primeira tentativa desastrosa no primeiro tempo, e ser derrubado por forças estranhas e do além que figuravam no campo, fui escalado novamente para jogar e imagina de quem foi o passe para o gol da vitória? Isso, o passe foi do genro mais velho de Barão(o forrest Gump da família Basílio), Rony Lima. Em bola redondamente passada para o matador Reinaldo Basílio, a bola foi parar no fundo da rede. (Pra nossa alegriaaaaaa).

A explosão de alegria foi tão grande que o segurança da família, Kesley, que raramente dá um sorriso, destravou os dentes e abriu um sorriso maior que o sorriso do Tião Macalé (ele sabe que família é família). Outro que faltou pular as telas do estádio foi Noé Basílio, que estava na retaguarda, só animando a torcida. Após o terceiro gol, foi pressão dos dois lados, a família Basílio querendo o fim do jogo e a Família Santana pressionando o árbitro para não acabar o jogo.

Após o apito final, foi euforia total, e no final, todos se reuniram, e dedicaram a partida a matriarca, aquela que é responsável por colocar no mundo uma família de pais, filhos, sobrinhos, netos e bisnetos honrados e que carregam com responsabilidade o nome da família Basílio! Parabéns Vó Tereza, Mamãe Tereza, Tia Terezinha, Dona Tereza ou Vó Terezinha. Esse momento de muita alegria e confraternização não seria possível sem a sua existência! Que Deus te ilumine sempre.

Veja vídeo da oração em prol da Dona Terezinha:

Veja fotos do evento:

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui