Ministério da Saúde diz que vacinação contra Covid-19 pode se iniciar em dezembro

0
567

O Ministério da Saúde afirmou nessa quarta-feira, 9, que poderá iniciar a vacinação contra Covid-19 ainda em dezembro ou no início de janeiro. Isto dependeria de uma autorização emergencial concedida pela Agência Nacional Vigilância Sanitária (Anvisa) à farmacêutica Pfizer.

O ministro da pasta, Eduardo Pazuello, afirmou também que, para se concretizar a vacinação, a empresa teria de “adiantar” as doses do imunizante no país. Entretanto, a quantidade de vacinas seria limitada e a vacinação realizada de forma emergencial, de acordo com o ministério.

A vacina da Pfizer começou a ser aplicada nesta terça-feira, 8. No mesmo dia, o governo brasileiro anunciou um acordo com a farmacêutica, para comprar 70 milhões de doses do imunizante. Isso indica uma mudança de postura, já que o governo antes havia dito que o país não tinha infraestrutura para armazenar as doses na temperatura exigida de 70º C negativos.

Outras vacinas

Além do acordo recém-anunciado com a Pfizer, outras inciativas brasileiras são tomadas para o enfrentamento da pandemia de Covid-19. O governo brasileiro tem um acordo para comprar 100 milhões de doses da vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford e o laboratório AstraZeneca. Segundo Pazuello, o pedido de registro definitivo deverá chegar à Anvisa até o fim de dezembro, e a agência deve levar 60 dias para análise.

Além disso, o consórcio Covax, coordenado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), prevê repasses de doses de vacinas para os países signatários, embora não especifique de quais laboratórios. No Brasil, o número acordado ficou em 42,5 milhões de doses.

Já o governo estadual de São Paulo, por meio do Instituto Butantan, tem uma parceria com o laboratório Sinovac, da China, que produz a vacina Coronavac. O governador João Doria (PSDB) anunciou que pretende vacinar a população do estado em janeiro.

Autorização da Anvisa

A Anvisa é responsável por conceder permissão para que vacinas possam ser aplicadas no Brasil. A agência pode também conceder autorização para aplicações emergenciais. Os pedidos precisam ser enviados à agência pelas empresas. Até agora, nenhum pedido chegou à Anvisa.

Uma lei aprovada na pandemia permite, no entanto, que uma vacina contra a Covid-19 seja usada no Brasil mesmo sem registro na agência brasileira. Para isso, precisa ter sido aprovada por agências de outros países como a FDA, dos Estados Unidos. A agência regulatória norte-americana atestou nesta semana a eficácia e a segurança da vacina da Pfizer.

Fonte: Jornal Opção

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui