É Greve !! Servidores públicos municipais articulam greves e paralizações por garantia de direitos.

0
2196

A coisa começou a mudar para o Governo de Formosa que vinha em uma crescente. Após o corte em gratificações dos servidores públicos municipais e possíveis cortes da insalubridade de servidores da saúde , rolam nos grupos de whatsapp, uma articulação entre servidores, para possíveis paralisações e greves.

Após entrar em contato com a presidente do SINPREFOR, entidade responsável por defender os interesses da categoria de servidores municipais, na pessoa de sua presidente Suyene Borges da Fonseca , o site deolhonanoticia.net recebeu a seguinte NOTA:

“Após o anúncio do Governo de Formosa o Sinprefor iniciou um trabalho de orientação dos servidores em relação aos cortes das gratificações, horas extras e adicional de insalubridade. Passamos em vários postos de trabalho questionando se o técnico de segurança havia feito a avaliação no local onde o servidor executa se serviço. A maior parte da resposta foi que não. Daí procuramos informações no RH e também com os secretários em questão. Tivemos reunião com o secretário de saúde e finanças e um conversa informal com o secretário de infraestrutura. Tivemos apenas um encontro com o técnico de segurança do trabalho contratado pela prefeitura nesse mês onde foi informado verbalmente apenas os servidores da limpeza do hospital, gari, lavanderia, Padioleiros, medicos e técnicos de enfermagem de ambulatório, médico e técnicos de enfermagem de isolamento, técnico de gesso, motoristas de ambulância e Samu, técnico científico e recepcionista do hospital irão receber o incentivo de insalubridade e periculosidade apenas os técnicos de Raio X e os eletricistas predial. Com essa informação fomos atrás da legislação que trata especificamente de insalubridade a NR 15. Nela consta quais categorias são insalubres e os índices para a gratificação de insalubridade que são de 10, 20 e 40%.

Foram dias de estudo e pesquisa do nosso jurídico enquanto isso o Sinprefor foi para base orientar.
Passamos em todos os postos que foram atingidos pelo corte e orientamos que assim que saísse o pagamento tirar o contracheque e levar imediatamente ao escritório na segunda-feira dia 04/12 para as providências cabíveis, pois muitos servidores trabalho dentro do hospital municipal e não irão receber o adicional de insalubridade que para nós dirigentes isso é um absurdo, pois todo hospital é área insalubridade, sendo assim não concordamos com o laudo do técnico do trabalho e vamos questionar judicialmente se for o caso.
No último dia 20 tivemos uma reunião com o prefeito e questionamos sobre o laudo, pois não estava coerente, pois como que um motorista de ambulância receberá a insalubridade e um lavador da ambulância não? Como que as agentes de saúde e endemias que trabalham diretamente nas casas dos munícipes e tem contato direto com vários tipos de patologias e os de endemias fazem manuseio de produtos químicos e não irão receber segundo o laudo apresentado. Como que um servidor que faz á manutenção do hospital não tem direito da insalubridade.
A resposta do prefeito foi que o servidor poderia protocolar um pedido de revisão do laudo técnico. Assim estamos orientando os servidores e aguardando o pagamento e o contracheque sair para iniciar os procedimentos necessários em defesa do servidor.
Mas a grande preocupação do Sinprefor é com os servidores da saúde, pois a folha de pagamento não está saindo junto com os demais, temos ciência que o prazo é até o quinto dia útil, mas sempre saiu junto com as outras categorias. Está havendo atraso também na folha do décimo terceiro e na folha das férias da saúde.
Na quarta-feira procuramos o RH onde foi informado verbalmente que foram feitas outras análises dos casos apresentado pelo Sinprefor e obtivemos um vitoria parcial. Vários servidores vão ter o direito da insalubridade como lanterneiros, motoristas da garagem, lavador de carros e mecânicos. Para os agentes de saúde e de combate as endemias esse mês de novembro não houve o corte mas temos 30 dias para levar a lei e documentos comprobatórios para a permanência do adicional de insalubridade.
O Sinprefor vem trabalhando em defesa do servidor público e se coloca a disposição para mais informações no escritório em horário comercial de segunda a sexta-feira.
Quanto a paralisação e greve são os servidores públicos quem decidirão e o Sinprefor está preparado para dar todo suporte aos servidores públicos que através da assembleia decidirão sobre o assunto. ”

O site “deolhonanoticia.net” em conversa por telefone agora pela manhã com o vereador Wenner Patrick, o mesmo ratificou: ” o seu total apoio a todas as categorias de servidores públicos municipais , e garantiu que ingressará em juízo para garantir o real pagamento que foi retirado dos servidores.”

Em ano pré eleitoral perder a confiança do servidor público municipal como um todo é praticamente um suicídio político. Não precisa ser um RENÉ DESCARTES ou ISAAC NEWTON, para saber que a matemática é mais simples do que imaginamos! Servidor feliz, eleições tranquilas, servidor insatisfeito, insatisfação nas urnas.

Texto: Rony Lima

 

 

 

 

 

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui