Nessas eleições teve quem ganhou e não levou

0
500

As eleições de 2018 mostraram que a retórica da política arcaica já não cola mais. Em vários estados, a eleição de novos rostos tanto para o executivo como para o legislativo, mostra que o perfil do eleitor precisa novamente ser estudado.

Será um novo modelo de política á vista? Se é não sei, porém “algo errado não está certo” pelo menos no que tange a velha política.  Voltando a nossa dialética aristotelista em relação aos nomes que disputaram a cadeira no legislativo goiano como: Guto Araujo, Bueno Hernany e Tião Caroço. Vou aqui me atentar a falar da grandeza de cada um dos três mais bem votados, não que os demais não mereçam os parabéns, porém foi entre os nomes ai citados que a guerra política foi travada nessa arena chamada Formosa.

Tião Caroço foi o candidato que ganhou mais que não levou. Podem perguntar o porquê e eu até respondo com facilidade. Tião Caroço é um político que tem um invejável curriculum político, carregando no mesmo, os mandatos de: Prefeito, Deputado, Secretário e de quebra um mandato vitalício no tribunal de contas de Goiás que também não deixa de ser um cargo político. Mesmo por que para o exercício do cargo analise curricular não é baseada na experiência e sim no dedo podre do padrinho político. Outro agravante que apequena a história política do Caroço é o fato de ter sido apoiado por gigantes da política municipal e ter uma votação irrelevante pela pseuda importância de uma parte de seu grupo. Será que o “Know-How” político “carociano” já não é o mesmo?  Prefiro esperar 2020 para ratificar mais algum juízo de valor.

Bueno Hernany, mostrou que anteceder o adversário é uma boa tática política. Homem de carreira da polícia Militar de Goiás, o humilde vicentino teve como grandes aliados o seu padrinho presidente dos vicentinos, Divino Ramos, os próprios vicentinos e mediante indicação política se afastou da policia militar para ocupar uma pasta no governo do estado que foi abrindo leques para que o mesmo fosse formando as guardas municipais no estado e ganhasse envergadura política. Faço a análise de que o Bueno não ganhou, porém promete.

Agora é hora de falar daquele que muitos chamavam de “o ponto fora da curva”, particularmente eu gosto de chamá-lo de o “outsider” da atual política… Como assim? Sim, Guto Araujo entrou desacreditado para determinados grupos políticos ou grupos políticos tradicionais em Formosa. Por vezes me peguei simpatizantes de seus adversários fazendo algazarras  e piadas de “apequenamento” desse que na língua dos adversários, seria uma decepção nas urnas. Platão já dizia: “Só sei de que nada sei”. Aos críticos do candidato Guto, essa frase encaixou como uma luva. Enquanto Guto Araujo cresceu no processo político, os adversários amargaram o “Establishment Político” e se não adequarem a nova política que vem por ai, estão fadados a serem sepultados politicamente no ostracismo e engolidos por políticos que não aderirem à velha política.

Por: Rony Lima

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui