Ronaldo Caiado diz que se for eleito governador, acabará com a corrupção em Goiás

0
811

Ao ser questionado sobre as metas de governo em um eventual mandato de go­vernador, o senador Ronaldo Caia­do (Democratas) afirmou, ontem, que irá focar no combate à corrup­ção, na transparência das ações ad­ministrativas e no reequilíbrio fiscal do Estado. Para ele, o fosso da cor­rupção em Goiás é muito grande e precisa ser fechado.

“O foco é fazer com o dinheiro do cidadão seja aplicado corretamente. Vamos implantar um sistema de to­lerância zero a este bueiro da corrup­ção. Muitos falam que é preciso fe­char o ralo. Não, aqui em Goiás nós vamos fechar o bueiro da corrupção. Só assim teremos condições de rein­vestir onde é necessário”, defendeu.

Ronaldo Caiado afirmou que a máquina pública precisa atuar a serviço do cidadão. “É preciso fa­zer um desenho da máquina pú­blica naquilo que é necessário para atender a população do Estado. O Estado não tem de atender interes­ses de A ou B, mas da população. E para isso é preciso ter transparência de verdade”, afirmou.

 

VEJA OS PRINCIPAIS TRECHOS DA ENTREVISTA :

  • TOLERÂNCIA ZERO À CORRUPÇÃO

O foco é fazer com o dinheiro do cidadão seja aplicado corretamen­te. Vamos implantar um sistema de tolerância zero a este bueiro da cor­rupção. Muitos falam que é preciso fechar o ralo. Não, aqui em Goiás nós vamos fechar o bueiro da corrupção. Só assim teremos condições de rein­vestir onde é necessário. É preciso re­ver contratos e também fazer um de­senho da máquina pública naquilo que é necessário para atender a po­pulação do Estado. O Estado não tem de atender interesses de A ou B, mas da população. E para isso é preciso ter transparência de verdade. Não esse painel da transparência do go­verno hoje, que é obscuro. Você vai lá e não consegue acessar nada

  • DESEQUILÍBRIO FISCAL
A situação do Estado é calamito­sa. Tanto é que o governador man­dou uma Lei de Diretrizes Orça­mentárias (LDO) no final do ano invertendo totalmente a perspecti­va de R$ 200 milhões de superávit para mais de R$ 500 milhões de défi­cit no orçamento. Goiás, só em 2017, acresceu mais R$ 1 bilhão à sua dívida. A dívida consolidada de Goiás é de R$ 19,5 bilhões. Por outro lado a arrecadação do Estado é de R$ 17,7 bilhões. Ou seja, se você tirar um ano só para pagar a dívida, ainda ficamos com um déficit de R$ 1,80 bilhão.
  • LUTA POR GOIÁS

 

Muitos criticam o enfrentamento que faço no Congresso, mas gosta­ria que explicitassem melhor. Garo­tinho (ex-governador do Rio de Ja­neiro) não está preso? Eu errei? Não, eu diagnostiquei antecipadamen­te. O enfrentamento com o minis­tro (das Minas e Energia) foi porque estava em questão a perda do maior patrimônio do Estado de Goiás, a Celg. O Giro trouxe a informação de que Goiás vai ter de assumir até 2025 toda a dívida tributária da Celg, e ainda vão conceder mais 30 anos de incentivo de ICMS. Então, a bri­ga é para defender o quê? Quem? O Estado de Goiás, o povo goiano. Nin­guém me botou lá para ser cordeiri­nho do Michel Temer. Tenho toda a liberdade e independência moral para subir à tribuna para enfrentar os problemas e adversidades.

  • CONFIANÇA DO ELEITOR

 

Sou um pré-candidato que não precisa mudar de cara. O eleitor goiano me conhece. Ele sabe como me porto, como ajo. Sou um políti­co previsível dentro daquilo que o eleitor deseja. Eu não tenho que me maquiar. Tenho que me apre­sentar como sou. Isso que me deu condições de hoje poder andar, ir aos restaurantes com minha fa­mília, poder pegar um avião, pode transitar em qualquer lugar do País. As pessoas, mesmo contrá­rias a mim, me respeitam.

  • ADVERSÁRIOS NO PALÁCIO E NO PLANALTO

 

Sei que enfrentarei o bom com­bate nestas eleições. Será o melhor combate de todos, no momento em que a sociedade rejeita enormemen­te as práticas que estão sendo aí im­plantadas por estes governos. O povo goiano quer aliados na moralidade, na ética e na condição de governar.

  • APOIO DE IRIS A DANIEL

 

Eu respeito a decisão do prefeito Iris Rezende. Sempre foi importan­te para nós, da oposição, termos Iris Rezende à frente da Prefeitura de Goiânia. Lutei como ninguém, nunca tive outro candidato que não fosse ele. Isso dentro de um pensa­mento maior de que nós temos de estar aliados ao sentimento da so­ciedade goiana. A candidatura de governador não é um projeto de ordem pessoal, mas daquele que consegue vocalizar o sentimento da sociedade goiana. Eu acredito que vamos construir essa unida­de ainda no primeiro turno.

  • ALIADO DOS GOIANOS

 

O povo goiano busca uma aliado. Qual é o político que vai ser aliado do povo goiano? Qual é político que vai fazer com que haja uma posi­ção muito clara, definitiva, tolerân­cia zero com a corrupção? É preciso dar ao cidadão mais humilde, mais pobre, condição de sobreviver. Em Goiás milhares de pessoas ainda vivem abaixo da linha da miséria, ganhando menos de 70 reais por mês.

Fonte: Jornal Diário da manhã-GO

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui